MENUTrienal de Arquitectura de Lisboa
Horário
19h
Website

Uma Anatomia do Livro de Arquitectura

Lançamento de livro de André Tavares

Examinar os cruzamentos entre as culturas do livro e da arquitectura expõe eixos ao longo dos quais o conhecimento circula entre páginas e edifícios e, de novo, regressa aos livros. Seja na celebração de construções específicas ou na produção de livros singulares, as páginas e a impressão são manipuladas para transmitir ideias arquitectónicas. Ao dissecar uma quantidade substancial de livros através de cinco ferramentas conceptuais – textura, superfície, ritmo, estrutura e escala – André Tavares analisa as qualidades materiais dos livros para avaliar a forma como se entrelaçam com o conhecimento da arquitectura. A história detalhada de Befreites Wohnen, de Sigfried Giedion, e as duas encarnações do Crystal Palace em Hyde Park e Sydenham, oferecem um pano de fundo que nos confronta não apenas com o desenvolvimento do livro industrializado, mas também com a sua configuração enquanto poderoso instrumento de comunicação e conhecimento. Profusamente ilustrado com exemplos da biblioteca do Canadian Centre for Architecture, o livre discute um vasto leque de autores, incluindo Vitrúvio, William Morris, Gottfried Semper, El Lissitzky, Le Corbusier, Jacques-Ignace Hittorff, Owen Jones, A. W. N. Pugin, Humphrey Repton, Sebastiano Serlio, Andrea Palladio, John Tallis, Raphael, Viollet-le-Duc, Jean-Rodolphe Perronet, Jean-Nicolas-Louis Durand e Frank Lloyd Wright.


André Tavares (Porto, 1976)


É arquitecto e, desde 2006, coordena a Dafne Editora, explorando a edição como uma forma de cultura e prática arquitectónica. Foi director do Jornal Arquitectos entre 2013 e 2015 e actualmente é comissário-geral, com Diogo Seixas Lopes, da Trienal de Arquitectura de Lisboa 2016. Publicou vários livros sobre a circulação internacional do conhecimento arquitectónico entre arquitectos portugueses, incluindo Arquitectura Antituberculose (Faup-publicações, 2005), Os Fantasmas de Serralves (Dafne, 2007), Novela Bufa do Ufanismo em Concreto (Dafne, 2009), e Duas obras de Januário Godinho (Dafne, 2012). O seu último livro The Anatomy of the Architecutral Books (Lars Müller, 2016), explora as relações cruzadas entre a história da arquitectura e do livro.