Saltar para o conteúdo principal
Trienal de Arquitectura de Lisboa

Sobre

Sobre

O Open House Lisboa oferece a um público alargado o livre acesso à arquitectura da cidade. Durante um fim-de-semana, e através de um roteiro novo todos os anos, celebra os melhores exemplos de arquitectura um pouco por toda a cidade, dos espaços privados aos públicos, contemporâneos ou históricos. Promove-se um diálogo e uma aproximação à arquitectura e ao desenho do espaço de referência que sustentam uma cidade vibrante para viver, trabalhar e aprender, através de visitas a espaços habitualmente inacessíveis ao olhar do público, percursos urbanos desvendados por especialistas e ainda passeios sonoros que pode fazer em qualquer altura. Com uma grande variedade de espaços e os programas Júnior, Plus e visitas acessíveis, pode escolher o que mais apele à sua curiosidade, interesse ou conveniência de localização. Está nas suas mãos!

A 11ª edição é comissariada pelo atelier Aurora Arquitectos

Uma cidade é definida pelos ícones arquitectónicos, mas também pela massa anónima construída. Uma rua «banal» pode imediatamente ser reconhecida como pertença de uma cidade pelas características de luz, cor, escala, materiais ou portas e janelas, padrões que têm origens geográficas, sociais, culturais e simbólicas. Essa identidade está em permanente transformação e cada novo projecto é uma contribuição para este património colectivo. Uns propõem novas leituras e interpretações, outros são aparentemente mais conservadores e privilegiam a arquitectura do passado.

Se o exterior dos edifícios está limitado pelas normas urbanísticas para preservação da identidade colectiva, os interiores são do domínio privado, um património invisível que evolui de forma mais livre. Formam uma segunda linha, um campo de criatividade e transformação do espaço mais expressivo, criando edifícios gradualmente mais ambíguos, fruto dessa dualidade entre a intervenção interior e exterior.

Todas estas transformações interiores, vistas em conjunto, de que cidade são reflexo? Que identidade invisível é essa? Se retirássemos as fachadas, que Lisboa ficaria à vista? Onde começa e acaba a identidade da cidade?

Como Funciona

O OHL é um programa de visitas, com duração variável, ao longo de um fim-de-semana. A tónica é colocada em projectos contemporâneos, e o roteiro abrange várias tipologias de espaços com diferentes usos e funções.

Para além das visitas ao interior dos edifícios, também fazem parte do programa:

  • percursos urbanos a pé acompanhados por especialistas
  • passeios sonoros orientados por narrações, por vezes com cariz mais histórico ou poético, que pode pode descarregar para o dispositivo móvel e fazer quando lhe for mais conveniente

As visitas são todas gratuitas, algumas com reserva prévia, e com três formatos à escolha: livres, acompanhadas por especialista ou acompanhadas pelo voluntariado que constitui a cara deste evento anual.

No site do OHL pode consultar:

  • a lista de espaços disponíveis para visita, saber os horários de cada um deles e fazer a sua reserva (quando necessário) uma semana antes de começar o evento
  • o Atlas com a colecção de espaços que participaram ao longo de todas as edições que já se realizaram

Em espaços seleccionados realizam-se eventos Plus para enriquecer a experiência da visita com concertos, projecções, performances, exposições, instalações ou workshops. O programa Júnior oferece desafios e actividades para os mais novos e um programa de acessibilidade adaptado a pessoas cegas ou com baixa visão, pessoas surdas ou com deficiência cognitiva.

História

Fundada em 1992 por Victoria Thornton, a rede Open House Worldwide conta hoje com 50 cidades por todo o mundo, como Londres, Nova Iorque, Buenos Aires, Lagos ou Seul, com cerca de dois milhões de visitantes só no ano de 2019. Em Lisboa, desde 2012 que a Trienal torna espaços de diferentes naturezas acessíveis ao público: monumentos, teatros, casas privadas, escolas ou igrejas, criando oportunidades para descobrir os locais que demonstram o papel decisivo da arquitectura na vida das pessoas e exemplificam o valor do património edificado. Em 2015 e 2016, a Trienal lançou ainda o Open House Porto envolvendo a Casa da Arquitectura. Sempre à procura de novas formas de juntar mais pessoas à experiência de turista na própria cidade, o OHL 2020 estreou um novo formato adaptado ao contexto pandémico, propondo uma reinterpretação da capital com passeios sonoros guiados pelo imaginário de lisboetas muito especiais. Em 2021 o Open House navega até à margem sul do Tejo e alarga o território a Almada, com espaços e percursos que seguem as linhas de água das duas áreas urbanas sublinhando o papel do rio.

Organização

A Trienal de Arquitectura de Lisboa organiza o OHL desde 2012, em parceria com a EGEAC desde 2015.

A Trienal é uma organização sem fins lucrativos cuja missão é investigar, dinamizar e promover o pensamento e a prática da arquitectura. A cada três anos, realizamos um grande fórum de debate, reflexão e divulgação que cruza fronteiras disciplinares e geográficas. Organizamos também os ciclos de conferências de arquitectura e eventos no pólo cultural onde estamos sediados — o Palácio Sinel de Cordes.

Favoritos
Animação de Carregamento