Saltar para o conteúdo principal
Trienal de Arquitectura de Lisboa
© RICARDO OLIVEIRA ALVES
© RICARDO OLIVEIRA ALVES
© RICARDO OLIVEIRA ALVES

Gasómetros da Matinha

  • Autores Originais:
  • Manuel Salgado
  • (1990)

  • Intervenções:
  • Atelier Risco
  • (em projecto)

Fora do Roteiro Actual

Marvila, que já foi a mais forte zona industrial pesada na margem Norte do Tejo, encontra-se hoje fragmentada entre quarteirões recuperados, vazios e muitas ruínas industriais. É aqui que encontramos a Matinha, terreno que deve o seu nome à antiga fábrica de Gás da Matinha, inaugurada em 1944. Antes da industrialização, todos estes espaços estavam destinados à agricultura, tendo este terreno chegado a fazer parte integrante da propriedade dos Marqueses de Belas, uma das mais produtivas da sua época. Com a saída da indústria, o conjunto foi desmantelado, encontrando-se fechado e sem uso há várias décadas. Aguarda agora o arranque de uma enorme transformação com uma intervenção de escala urbana que prevê habitação, serviços, comércio e espaços públicos, sob um ambicioso projecto que mantém a memória dos antigos gasômetros.
#Vazio #Ruína

Morada
Rua do Vale Formoso, 118
Obter Direcções

Transportes Públicos
Autocarro: 31B, 718, 728, 755
Comboio: Braço de Prata

Tipologia
Infra-estruturas

Acessibilidade
Parcial

Fotografia
Permitido fotografar

Favoritos
Animação de Carregamento