Saltar para o conteúdo principal
Trienal de Arquitectura de Lisboa
© Artur Caldas
© Olaya Mourenza Flórez
© Artur Caldas

Igreja de São Domingos

  • Autores Originais:
  • Vários autores ,
  • João Frederico Ludovice ,
  • Manuel Caetano de Sousa
  • (1241, 1748, 1755)

  • Intervenções:
  • José Fernando Canas
  • (1996)

Esta igreja ocupa o lugar onde se ergueu o primeiro convento dominicano em Lisboa, fundado em 1241. Com o terramoto de 1755 apenas a capela-mor sobrevive para contar a memória. Com uma arquitectura moldada por diferentes períodos e influências, esta igreja apresenta uma mistura de estilos com predominância do Barroco e alguns traços maneiristas. Dos inúmeros incidentes pelos quais passou, o mais marcante foi o incêndio de 1959. Após este episódio, a igreja só volta a reabrir em 1994, mantendo deliberadamente visíveis as marcas do fogo nas pedras negras dos altares, ou nas falhas que assinalam o pavimento quebrado pelas altas temperaturas. Apesar da memória de destruição que o espaço transmite, o seu interior evidencia grande beleza e eclectismo. A volumetria anterior é retomada pelo actual tecto em abóboda de canhão revestido a estuque pintado, que deixa sobressair as majestosas colunas duplas que persistiram da intervenção do século XVIII, bem como a policromia dos mármores que revestem o espaço. Do património notável que sobreviveu às catástrofes merecem destaque o átrio da portaria, a sacristia e a ala do claustro. Estes três espaços distinguem-se pela beleza dos seus elementos originais: os painéis de azulejos figurativos, os túmulos em mármores e as pinturas a óleo de temática dominicana.

Tipologia
Equipamentos

Fotografia
Não é permitido fotografar

Favoritos
Animação de Carregamento