Saltar para o conteúdo principal
Trienal de Arquitectura de Lisboa
© Marinha Portuguesa
© Marinha Portuguesa
© Marinha Portuguesa

Palácio do Alfeite

  • Autores Originais:
  • Mateus Vicente de Oliveira
  • (séc. XVIII)

  • Intervenções:
  • Joaquim Possidónio da Silva
  • (1958)
  • Samuel Quintinha
  • (1969)

Virado para o Tejo, o Palácio do Alfeite situa-se na extensa área militar entre os concelhos de Almada e Seixal. Desde 1690, foi lugar de eleição da Casa do Infantado e vem desses dias a expressão «estar nas sete quintas», uma vez serem sete as quintas que integravam o Real Sítio do Alfeite: Piedade, Outeiro, Romeira, Alfeite, Quintinha, Antelmo e Bomba. Depois do terramoto de 1755, D. Pedro, mandou construir o Paço Real do Alfeite. Esta obra, foi concluída em 1758 e alvo de significativas melhorias em 1858. A montante do palácio, e ocupando grande parte do vale, encontra-se um jardim com exemplares arbóreos de grande interesse botânico, provavelmente plantados por Jean Baptiste Bonnard que desenhou, entre outros, o jardim da Tapada das Necessidades e o Jardim da Estrela, bem como um sistema de recolha e condução de água para abastecer o palácio e irrigar os terrenos da quinta. É actualmente ocupado pelo Comando Naval de Lisboa.

Nota: Esta visita inicia na Escola Naval e a marcação deve ser feita através do espaço “Escola Naval”

Morada
Base Naval de Lisboa, Alfeite
Obter Direcções

Transportes Públicos
Autocarro: 103, 108, 114, 120, 123, 149, 755

Tipologia
Palácios e Conventos, Militar

Fotografia
Permitido fotografar

Domingo, 10h e 11h

Por especialista
Comandante José Rocha e Abreu
(as visitas iniciam na Escola Naval pela equipa de voluntariado)

Lotação
-

Favoritos
Animação de Carregamento