Saltar para o conteúdo principal
Trienal de Arquitectura de Lisboa
© José Fernandes
© Procuradoria Geral da República
© Procuradoria Geral da República

Palácio Palmela – Procuradoria-Geral da República

  • Autores Originais:
  • Manuel Caetano de Sousa
  • (1794)

Ocupação prevista: MédiaOcupação prevista: Média

Durante cerca de 230 anos, este conjunto de edifícios e jardim só teve dois tipos de ocupação: até 1977 foi residência da aristocracia e alta-burguesia, e de 1982 até hoje Procuradoria-Geral da República. O palácio, projectado pelo arquitecto da Corte para sua residência, foi adquirido em hasta pública em 1823 pelo primeiro Conde da Póvoa. A intervenção levada a cabo neste período, possivelmente sob orientação de Luigi Chiari, incidiu na capela, escadaria nobre e imagem exterior. Em meados do século XIX foi herdado pelos Palmela, que acrescentaram o andar superior, um pavilhão no jardim e o revestimento exterior de cantaria de mármore rosa. No interior de um dos mais ricos e bem conservados exemplos palacianos da cidade encontramos obras de Sequeira, Vieira Portuense, ou Soares dos Reis, entre outros.

Morada
Rua da Escola Politécnica, 140
Obter Direcções

Transportes Públicos
Autocarro: 24E, 65B, 706, 709, 720, 727, 738, 758, 773, 774
Metro: Rato

Tipologia
Palácios e Conventos, Equipamentos

Acessibilidade
Reduzida

Fotografia
Permitido fotografar

Sábado 10h, 11h30, 14h, 15h30

Por especialista
por Sandra Belo

Lotação
20

Favoritos
Animação de Carregamento