Errormessage: Trienal de Arquitectura de Lisboa - Tony Fretton, Didier Faustino e Álvaro Domingues
MENU
PTEN
Trienal de Arquitectura de Lisboa
Data
21 FEV 2013
Horário
21h30
Local
Culturgest
Preço
Entrada livre
Participantes
Tony Fretton, Didier Faustino, Álvaro Domingues, Diogo Seixas Lopes e Paulo Providência

Tony Fretton, Didier Faustino e Álvaro Domingues

Antologia NU

Por ocasião dos 10 anos da revista NU, foi editada uma antologia crítica com um olhar para o percurso da revista e a relação que estabeleceu com temas fortes que conduziram a arquitectura contemporânea desse período. Este número especial é uma releitura e uma revisão crítica a partir de textos que introduzem cada problema-questão (Pedro Jordão e Bruno Gil), instruindo cada entrevista num problema mais amplo e transversal. Ao todo, foram 20 entrevistas de arquitectos de renome. A partir da ideia de entrevista e conversa, foi realizado um debate de cariz informal para aproximar os três convidados, dois moderadores, e o público, estabelecendo uma conversa em torno dos cinco grandes eixos retratados na Antologia.

A Revista NU surge no ano lectivo de 2001-2002, integrada no programa de objectivos do NUDA, o Núcleo de Estudantes do Departamento de ArquiteTura da Universidade de Coimbra. O 1º número, Encruzilhadas, é lançado em Maio, tornando-se uma revista periódica de reflexão e debate sobre a arquitetura, que se propõe como um pretexto de discussão e uma ferramenta de aprendizagem para quem a faz e para quem a lê. Desde então foram publicados 38 números, assumindo a NU como uma publicação de teoria e crítica, focada em temas de interesse à produção arquitectónica mas também extra-disciplinar. Aos textos de crítica dos estudantes acrescentam-se inúmeras colaborações de nomes nacionais e internacionais ao longo dos anos, tais como Álvaro Siza, Eduardo Souto de Moura, Dominique Perrault, MVRDV, Josep Maria Montaner, Beatriz Colomina, Toyo Ito, Paulo Mendes da Rocha, Sas- kia Sassen, Hans Ibelings, Mansilla+Tuñón, Alberto Campo Baeza, Bjarke Ingels, FOA (Foreign Office Architects), Gonçalo Byrne, Kurt Forster, Denise Scott Brown, Pezo von Ellrichshausen, Tony Fretton, entre outros.

Em 2004, a convite do Instituto das Artes, a Bienal de Veneza contou com a presença da NU, com o número #20 “Onde está Portugal?”, integrado na representação comissariada por Pedro Gadanho. Em 2007, o programa Gau:di, de apoio a publicações sobre arquitectura de vários países europeus, faz uma recolha a ser apresentada em feiras internacionais e inclusa numa antologia, e distingue a NU para representar a crítica portuguesa de arquitectura. Foi incluída na colecção Archizines que reúne revistas de referência na área da teoria da arquitectura de todo o mundo. 


Tony Fretton (1945) é um arquitecto britânico conhecido pelos seus edifícios residenciais e públicos, em especial espaços ligados às artes. Formado pela Architectural Association School of Architecture (AA), trabalhou para Arup, Neyland and Ungless, e Taylor Chapman, antes de fundar o seu próprio gabinete, Tony Fretton Architects, em 1982. O seu primeiro grande projecto foi a Galeria Lisson em 1990. Ele é conhecido por projectar "espaços dedicados às artes de sensíveis ao contexto em que se situam", usando uma combinação de abordagens vernáculas e minimalistas. A par da Direcção de Projecto de todos os trabalhos do seu gabinete, Tony Fretton tem um papel activo na teoria projectual através da participação em palestras, conferências e na escrita.


O arquitecto e artista Didier Fiúza Faustino trabalha sobre a relação íntima entre o corpo e o espaço. A sua abordagem é multifacetada e vai da instalação à experimentação, da criação de arte visual subversiva a espaços que exacerbam os sentidos. Criou o Bureau des Mésarchitectures em 2002 e recebeu o prémio carreira Déjean da Académie d’Architecture em 2010, tendo sido agraciado por diversas vezes com o Prémio Chernikhov (Moscovo). Caracterizados pela sua dimensão ficcional e crítica, a sua liberdade face a códigos e capacidade de proporcionar novas experiências ao corpo individual e colectivo, os seus projectos integram colecções de grandes instituições como o MoMA, Fonds National d’Art Contemporaine e Centre Pompidou. Dedica parte do seu tempo à actividade docente e é responsável pelo Diploma Unidade 2 da AA. Entre os trabalhos actualmente em curso contam-se uma biblioteca e centro cultural no México, um espaço expositivo em Paris no pilar da margem esquerda da Ponte Alexandre III e uma casa experimental em Espanha para Solo House.

Álvaro Domingues (Melgaço, 1959) Geógrafo e professor na Faculdade de Arquitectura da Universidade do Porto (FAUP) onde também é investigador no CEAU – Centro de Estudos de Arquitectura e Urbanismo. Publica com regularidade sobre temáticas relacionadas com a geografia urbana, o urbanismo e a paisagem. Das suas publicações mais recentes destacam-se “Vida no Campo” (Dafne editora, Porto, 2012); “A Rua da Estrada” (Dafne editora, Porto, 2009); “Missão Fotográfica: Paisagem Transgénica” (INCM, Lisboa, 2012); Políticas Urbanas II (com Nuno Portas e João Cabral, Fundação Calouste Gulbenkian, Lisboa, 2011) e Cidade e Democracia, 30 anos de transformação urbana em Portugal (organização e texto) para Ed. Argumentum (Lisboa, 2006).


Moderadores: Diogo Seixas Lopes e Paulo Providência
Lançamento da Revista NU#40. Entrevistas. Antologia Crítica 2002-2012