MENU
PTEN
Trienal de Arquitectura de Lisboa
Data
13 OUT 2021
Horário
18:30
Local
Pequeno Auditório do CCB
Ciclo
2020-2022
Equipa
Curadoria: Diana Menino, Felipe Di Ferrari
Co-Produção
Trienal de Aquitectura de Lisboa, CCB - Garagem Sul
Informação adicional
Bilhete: 7 €

Com desconto (estudante, desempregado, amigo CCB ou amiga Trienal de Lisboa): 5 €

AgwA, Chapex ©Filip Du Jardin

BAST +AgwA

Campo Comum

Construção

O segundo evento de 2021 centra-se na construção — quer na sua definição material, quer na sua representação — como etapa fundamental do processo de aprendizagem da arquitectura, aqui entendida como campo comum do saber. Os convidados são os ateliers AgwA, de Bruxelas, e BAST — Bureau Architectures Sans Titre, de Toulouse. Ambos vão apresentar lugares, procedimentos e coreografias laborais, bem como a sua atitude no mundo construído, a partir de uma série de obras de renovação na Bélgica e em França, com escalas e características variadas.


Em inglês, esta conferência é composta por uma apresentação de cada atelier e uma conversa moderada pela curadoria - Diana Menino e Felipe De Ferrari - na qual convidamos quem assiste a participar com perguntas.

Biografias

AgwA
É um atelier de arquitectura sediado em Bruxelas, fundado por Harold Fallon (arquitecto, doutorado e professor assistente na Universidade Católica de Lovaina), Benoît Vandenbulcke (arquitecto, doutorado e professor assistente na Universidade de Liège) e Benoît Burquel (arquitecto, professor assistente na Universidade Livre de Bruxelas). A sua prática analisa como é que as estratégias de desenho permitem abordar a estrutura e a arquitectura enquanto facetas de igual importância na ambição singular de cada projecto. Em 2019 editaram o livro Chantier / Construction Site.

BAST (Bureau Architectures Sans Titre) 
Foi fundado em Toulouse no ano de 2013, com o objectivo de desenvolver uma prática «em que se abandone a individualidade de cada parceiro para beneficiar a expressão do colectivo». É hoje uma sociedade cooperativa e participativa com três parceiros: Laurent Didier, Mathieu Le Ny e Louis Léger. A sua abordagem colectiva e não-formalista tem sido reconhecida; foram galardoados com o Prix Architecture Occitanie pela Casa M15 em Toulouse (2017), o Albums des jeunes architectes et paysagistes (AJAP, 2018) e o Prémio de Arquitectura Contemporânea Mies van der Rohe para Arquiteto Emergente pela cantina escolar em Montbrun-Bocage (2019). Foram finalistas em 2019 do Prémio Début Trienal de Lisboa Millennium bcp.