MENU
PTEN
Trienal de Arquitectura de Lisboa

Conversas fora de portas amplificam exposição Condições Crónicas

Data
12 OUT 2021 - 11 DEZ 2021
Horário
Terças e Sábados: 11h - 19h; Quarta a Sexta: 14h - 19h
Local
Palácio Sinel de Cordes
Preço
Gratuita
Participantes
Com obras de: Benjamin Robert Haydon, Carlo Scarpa; Jerzy Mokrzyński, Josip Osojnik, Lucía de Mosteyrín Muñoz, Mário Novais, Ott Puuraid, William Home Lizars, Max Rasser, Samuele Tirendi / denkstatt sàrl, Tibère Vadi

Fotografias e citações de pacientes (Recolha): Anna Ulrikke Andersen, Anne Silje Bø; Contribuições: Ann Lise Aaseth, Elling Ola Drege Kirkhorn, Fredrik Joramo, Helga Marie Holt-Seeland, Håvard Jektnes, Knut Forbergskog, Laila Holgersen, Marte Karoline Lieng, Åshild Marie Grønningsæter Vige; Filmes de: Anna Ulrikke Andersen

Equipa
Curadoria: Anna Ulrikke Andersen Desenho Expositivo: L'Atelier Senzu
Co-Produção
Future Architecture Platform

Em parceria: Burel Factory
Em colaboração: Norsk Folkemuseum, minner.no, Norsk Revmatikerforbund Østfold, Bekhterev Norge

Apoio: Norwegian Arts Council

Informação adicional
Quarta a Sexta: 14h00 - 19h00

Terças e Sábados: 11h00 - 19h00

A temática de Condições Crónicas: Corpo e Construção, a actual exposição da Trienal no Palácio Sinel de Cordes, conhece no mês de Novembro de 2021 uma abertura à discussão além-fronteiras em duas conversas com a participação de Anna Ulrikke Andersen.

A curadora da exposição tem incidido o foco do seu trabalho na arquitectura vivida por pessoas com doenças crónicas, recorrendo ao cinema, escultura e ensaio como métodos de investigação. A exposição que revisita as colecções de arquitectura de membros da Future Architecture Platform é deste modo não só um corolário desse percurso, como também o eixo que dá o mote às conversas que povoa.

Os edifícios antigos podem ser desobedientes: chegam novos residentes, os materiais deterioram-se e a vizinhança muda com o tempo. Poderá essa desobediência ser explorada sonoramente? Nos últimos dois anos, Anna Ulrikke Andersen e mais cinco investigadoras da Universidade de Oxford desenvolvem o projecto Edifícios Desobedientes, que explora como as pessoas hoje vivenciam a vida quotidiana em blocos de apartamentos envelhecidos. O evento resultante, Sons Desobedientes, é um passeio sonoro, exposição e seminários a decorrer na Galeria Van Etten, em Oslo, entre 12 e 28 de Novembro de 2021, com o dia 13 dedicado à conversa entre Audun Kjus, conservador do Norsk Folkemuseum, e Anna Ulrikke Andersen. 

Por outro lado, a arquitectura e a deficiência dão o mote de forma mais directa no encontro entre Anna Ulrikke Andersen e Jos Boys, teórica da arquitectura e uma das fundadoras do colectivo feminista Matrix. O evento começa com a exibição do filme Architecture Beyond Sight (2019, 17 minutos), parte integrante de Condições Crónicas, seguida da conversa conduzida por Victoria Bugge Øye, curadora do Museu Nacional - Arquitectura, em Oslo. A ROM, plataforma experimental para o desenvolvimento e divulgação da arquitectura e arte, acolhe este evento em Oslo a 25 de Novembro. Colaboram com Anna Ulrikke Andersen em projectos que visam abrir o campo da arquitectura para pessoas com doenças crónicas ou deficiência, algo que é ainda pouco vulgar. 

Retrato das duas oradoras justapostas com uma construção Do it yourserf

Jos Boys, Anna Ulrikke Andersen ©ROM