MENU
PTEN
Trienal de Arquitectura de Lisboa
Data
20 ABR 2024 - 06 MAI 2024
Edição
2.ª
Participantes
Johanna Musch, Tatuli Japoshvili e Giga Tsikarishvili
Co-Produção
LINA, Europa Criativa

Johanna Musch na conferência LINA, 2023 © Urban Cerjak

Periple Duet 2024

LINA

A segunda edição destas residências em movimento no âmbito do programa europeu LINA é feita em parceria com a instituição DAI-SAI. O formato mantém-se, criando uma ponte com o programa Architecture of Cure desta associação croata. 

Uma designer social e um duo de artistas emergentes são convidados a desenhar um itinerário e um tema que una a cidade onde vivem a Lisboa e a um sanatório modernista desactivado em Krvavica: a francesa Johanna Musch, que parte de Paris, e Tatuli Japoshvili e Giga Tsikarishvili, de Tbilisi, capital da Georgia. As travessias terrestres vão focar-se na ligação entre as noções de fronteira e exaustão e no ficcional como instrumento de cura. 

On Time

Johanna Musch explora através de uma experiência de design especulativo a regeneração e manutenção de um ‘clima de cuidado’ como cura e antídoto com abordagens a longo prazo. A participação numa ‘repartição do tempo’ (uma entidade legal dedicada ao pensamento com um horizonte temporal distante no planeamento urbano) cria cenários emergentes e estratégias apoiadas em testemunhos do cuidar, gravações áudio de entrevistas realizadas durante uma viagem de Paris a Lisboa e Krvavica. 

Entre Exaustão e Cura

Ao explorar as causas do esgotamento e os caminhos da cura, Giga Tsikarishvili e Tatuli Japoshvili entrelaçam experiências subjectivas numa ecologia sócio-política, cognitiva e ambiental mais ampla. Viajando dentro e para lá das fronteiras que separam Tbilisi de Lisboa (com uma paragem em Krvavica), a dupla reflecte sobre as articulações feitas pela humanidade e as paisagens naturais circundantes. Experiências, afectos e imaginários são transmitidos através da lente da fabulação ficcionada.

Bios

Johanna Musch

Designer, investigadora e coordenadora de projectos culturais digitais centrados na redistribuição de bens comuns através de processos co-criativos. Desenvolveu conteúdos e ferramentas digitais de mediação em instituições como o Palais de Tokyo ou Fondation Cartier e posteriormente leccionou a cadeira de Estratégias Digitais na Sorbonne Nouvelle. Em paralelo, co-fundou o colectivo de prática espacial multidisciplinar Umarell.

   

Tatuli Japoshvili

Investigadora, crítica de cultura visual e artista. A sua prática explora as intersecções entre estética, psicanálise e a noção de feminino, a par da análise da complexa agência das imagens tanto em meios digitais contemporâneos como em arquivos físicos. Em 2023, fundou com Giga Tsikarishvili wit[h]nessing, uma plataforma de investigação artística transdisciplinar que pretende incorporar perspectivas que expandam os conceitos de subjectividade, estética e ética na intersecção entre arte, arquitectura e design.

  

Giga Tsikarishvili

A sua prática artística multidisciplinar investiga a ligação entre temas humanos e não humanos. Através da sua obra, fomenta o envolvimento activo no estabelecimento de relações de cuidado e respeito com entidades do binómio natureza/cultura. Co-fundador de wit[h]nessing.

Sobre a DAI-SAI

O programa Architecture of Cure desta instituição explora o legado arquitectónico, o esgotamento das comunidades humanas em paralelo a património desactivado e a transformação de ambientes materiais e imateriais de ‘lugares de patologias partilhadas’ em locais de recuperação colectiva. O caso de estudo da Estância de Saúde Marítima Infantil de Militares, um ícone brutalista do arquitecto croata Rikard Marasović, e das comunidades circundantes serve de contributo para práticas arquitectónicas mais sustentáveis através da criação de um caleidoscópio de ficção sobre a sociedade que criou estes sanatórios, e de novas colectividades imagináveis que a poderiam governar no futuro – com grande afecto e empatia.