Saltar para o conteúdo principal
Trienal de Arquitectura de Lisboa
© Blue Office

Casa no Arco do Cego

  • Autores Originais:
  • Cassiano Branco
  • (1933)

Ocupação prevista: AltaOcupação prevista: Alta

Este conjunto de moradias adequa-se aos desígnios estilísticos e programáticos da grande obra de regime, ao mesmo tempo que ensaia uma linguagem de cariz mais internacional de Mallet Stevens, em Paris (1926-1927), das villas de Le Corbusier para Pessac (1925-1926) ou do conjunto de Weissnhof em Estugarda para o Deutscher Werkund (1927). Foram realizadas pela Construtora Nacional de Casas Económicas (SARL), instrumento que regulamentava a política de habitação social do regime de Salazar. Diga-se que noutros bairros posteriores do mesmo regime, a linguagem utilizada é bastante mais conservadora e, neste sentido, este conjunto tem um valor experimental considerável no contexto português. Trata-se de uma moradia com duas habitações, uma por piso, virada para o interior do bairro do Arco do Cego e faz parte de um conjunto de mais seis projectadas por Cassiano para a Avenida António José de Almeida (nºs 10, 12, 14, 16, 18 e 24), caracterizadas por uma expressão Art Déco. Volumes puros, terraços, janelas de canto e aberturas rasgadas revelam as novas potencialidades permitidas pelo betão armado na pequena escala da habitação.

Morada
Rua Xavier Cordeiro 19-20
Obter Direcções

Transportes Públicos
Autocarro: 713, 716, 720, 736, 742, 767
Metro: Alameda, Saldanha

Tipologia
Habitação

Fotografia
Não é permitido fotografar

Sábado e Domingo 10h–17h30

Por voluntário
Cada 30 minutos*
*excepto quando existe visita por especialista

Por especialista
15h por Nuno Távora

Lotação
Máximo 15 pessoas

Animação de Carregamento