Saltar para o conteúdo principal
Trienal de Arquitectura de Lisboa
© MNAC

Museu Nacional de Arte Contemporânea

  • Autores Originais:
  • Vários autores
  • (1217)

  • Intervenções:
  • Jean-Michel Wilmote
  • (1994)

Desde 1911, ano da sua fundação, o museu instalou-se no espaço do Convento de São Francisco, conjunto seriamente afectado pelo terramoto de 1755. Em pleno Chiado, centro de muitas tertúlias que tiveram lugar no século passado, este Museu escolheu a localização ideal para a geração de artistas e intelectuais que exibe. Em 1945, após profundas obras de remodelação de estrutura e interiores, o museu abre diariamente ao público com entrada independente pela Rua Serpa Pinto. Por consequência do incêndio do Chiado, em 1988, o destino das instalações é repensado, com projecto de reabilitação oferecido pelo governo francês, com autoria do arquitecto francês Jean-Michel Wilmotte. O projecto procurou integrar os espaços existentes de relevância histórica com uma linguagem neomoderna. Valorizam-se planos que constituem passagens suspensas, assume-se a autonomia de elementos como o próprio chão ou as súbitas paredes que definem grandes verticalidades. Um espaço altamente qualificado pela conjugação elegante de uma cuidada pormenorização com uma original e económica paletas de cores e materiais. A sobriedade discreta que o caracteriza dialoga plenamente com as funções do edifício.

Tipologia
Equipamentos

Fotografia
Não é permitido fotografar

Favoritos
Animação de Carregamento

Lisboa ao ouvido

O Open House Lisboa 2020 é feito de oito passeios sonoros distintos. Uma edição segura, para conhecer Lisboa de forma independente e guiada por oito personalidades da cultura.

Saber Mais