Saltar para o conteúdo principal
Trienal de Arquitectura de Lisboa

Sobre

Como Funciona

Durante o fim-de-semana, visitas guiadas gratuitas e sem marcação, dão a conhecer de perto e por dentro a melhor arquitectura de Lisboa. Sem reserva antecipada na maioria dos casos, as visitas são por ordem de chegada para dar acesso a um maior número de pessoas e facilitar a fluidez das entradas. As excepções que exigem marcação (10 espaços) estão devidamente assinaladas no roteiro. Estas inscrições estiveram disponíveis online a partir de 13 de Setembro à tarde e já esgotaram.

Os três formatos de visita:

  • Visita por Voluntário dá a conhecer o espaço em detalhe através de uma visita acompanhada pela equipa de voluntários presentes no local
  • Visita por Especialista  trata-se de uma visita comentada pelo autor do próprio projecto de arquitectura ou por um especialista convidado
  • Visita Livre  são visitas ao espaço sem acompanhamento dentro do horário indicado

Para cada edição, contamos com uma entusiasta equipa de voluntários que acolhe os visitantes, fornece um olhar sobre o roteiro, dá sugestões ou faz recomendações adequadas a cada um.

OH Lisboa 2018

O Open House é um evento internacional do qual fazem parte mais de 40 cidades em todo o mundo.

Na sua 7ª edição, o OH Lisboa é mais uma vez o guardião que abre os portões da cidade durante dois dias, no fim-de-semana 22 e 23 de Setembro, com visitas gratuitas que serão difíceis de esquecer. Convidamos todos a descobrir o roteiro de 84 espaços, 38 dos quais novos. Este ano com a novidade de oferecermos também nove Percursos Urbanos feitos por especialistas a diferentes zonas de Lisboa. Para conhecer melhor a história, as mudanças e a arquitectura dos nossos bairros.

Esta foi a proposta do nosso comissariado de 2018, composto pelo arquitecto, crítico e professor Luís Santiago Baptista, e pela arquitecta, professora e investigadora Maria Rita Pais. A dupla dividiu Lisboa em nove zonas, utilizando um arco espacial e temporal que tem começo na zona histórica mas que tenta fazer um raio-X zona a zona trazendo a reflexão para a contemporaneidade. Queremos pensar a cidade de hoje carregando connosco o conhecimento da história e os desenvolvimentos urbanísticos trazidos com a modernidade.

A diversidade do roteiro deste ano mostra isso mesmo: de uma casa no Restelo à habitação colectiva Pantera Cor-de-Rosa em Chelas, da Garagem do Conde Barão até à Torre do Tombo, passando pelo atelier Cecílio de Sousa. Cabe depois ao visitante estabelecer as suas relações, pensar na sua experiência e nas modificações da sua cidade. Mas porque a diversidade não é apenas sentida na escolha dos espaços, e porque o OH Lisboa é para todos, temos também como de costume visitas de acessibilidade, actividades júnior, e programa Plus.

O Open House Lisboa é seu, todos os anos, para visitar, descobrir, guardar e pensar.

Fique por dentro.

Habitar Lisboa em Transformação

A modernidade implicou fortes transformações na organização da cidade de Lisboa, ampliando os seus territórios a uma escala metropolitana e implicando a transformação progressiva dos seus tecidos históricos consolidados. É sobre esta estrutura urbana moderna que a cidade se tem desenvolvido, colocando hoje novos dilemas e desafios. Quando Lisboa aparece recorrentemente nos rankings das cidades mais atractivas e cosmopolitas, evidenciando os fenómenos urbanos, sociais e culturais inerentes ao nosso mundo globalizado, assistimos a uma transformação acentuada e acelerada não apenas da sua estrutura física mas igualmente dos seus usos e vivências. Porém, estes processos de mudança não acontecem na cidade de forma contínua e constante, mas vinculadas à natureza específica das suas diversas áreas urbanas e com diferentes intensidades e velocidades. Importará pois perceber as múltiplas energias e estímulos de cada uma dessas zonas, com os seus diferentes problemas, necessidades e possibilidades, nunca perdendo uma ideia de interdependência e coerência geral da cidade.

A edição de 2018 do Open House concentra-se na afirmação da Lisboa metropolitana, aquela em que hoje habitamos, com as suas múltiplas propostas modernas e contemporâneas. As obras arquitectónicas exemplares apresentadas no roteiro são assim compreendidas no seu enquadramento urbano, tendo em conta os diferentes modos de habitar a cidade, bem como as dinâmicas presentes na produção urbana actual.  É neste âmbito que se pretende mostrar o papel que os arquitectos desempenharam e continuam a desempenhar nesse processo de transformação e qualificação de Lisboa. Em suma, o Open House 2018 é uma oportunidade não só de celebrar a cidade que temos, mas igualmente de reflectir sobre que cidade queremos no futuro.

Luís Santiago Baptista e Maria Rita Pais

Organização

A Trienal de Arquitectura de Lisboa é uma organização sem fins lucrativos cuja missão é investigar, dinamizar e promover o pensamento e a prática da arquitectura. A cada três anos, realizamos um grande fórum de debate, reflexão e divulgação que cruza fronteiras disciplinares e geográficas. Para além disso, organizamos também os ciclos de conferências Distância Crítica no Grande Auditório do CCB, múltiplos eventos na nossa sede, o Palácio Sinel de Cordes, que integra também um Pólo Criativo.

Um conceito originalmente criado em Londres em 1992 por Victoria Thornton, o Open House Lisboa faz parte da grande família Open House Worldwide. Desde 2012, que a Trienal de Lisboa organiza o OH Lisboa, e desde 2015, que o faz em parceria com a EGEAC.

Dirigido ao grande público, o OH Lisboa tem como objectivos e princípios base:

  • Aproximar os cidadãos à arquitectura da sua cidade
  • Dar a conhecer espaços habitualmente fechados ao público
  • Organizar visitas gratuitas envolvendo autores ou especialistas de diferentes áreas

Ficha Técnica

Open House Lisboa 2018

Comissariado
Luís Santiago Baptista
Maria Rita Pais
Textos zonas e espaços
O comissariado
Coordenação OH Lisboa
Carolina Vicente
Produção
Beatriz Caetano Bento
Programa de Voluntariado
Filipa Tomaz (coordenação)
Joana Martins
Programa de Acessibilidade
Locus Acesso
 Liasion Acessibilidade
Marcelo Ribeiro
Coordenação de Zona
Ana Rita Valente
André Veiga Rosa
Beatriz Couto
Catarina Batalha
Eduardo Barreira
Raquel Nunes
Rita Mota
Romeu Zagalo
Tutoria de Zona
Ana Cláudia Brás
Ester Donninelli
Inês Inácio
Inês Martins
Inês Soares
Luís Filipe Fernandes
Margarida Borges
Tao Chen
Tipografia
R-Typography
Design de Comunicação
Studio AH-HA
Vídeo
Untold
Locutora oficial
Inês Meneses
Sonorização
Dizplay

 

Trienal de Arquitectura de Lisboa

Direcção
José Mateus, presidente
Nuno Sampaio, vice-presidente
José Manuel dos Santos, vogal
Maria Dalila Rodrigues, vogal
Pedro Araújo e Sá, vogal

Director Executivo Adjunto
Manuel Henriques

Assistente de Direcção
Helena Soares

Comunicação
Sara Battesti (coordenação)
Cláudia Duarte (imprensa)
Raquel Guerreiro (design gráfico)
Susana Pomba (editora)
Produção
Isabel Antunes (coordenação)
Carolina Vicente
Tiago Pombal
Financiamento e Parcerias
Joana Salvado
Joanna Hecker

 

Agradecimentos

Um MUITO OBRIGADO

Aos proprietários, anfitriões e todos os seus representantes por acederem abrir as portas dos seus espaços. A todas as entidades, parceiros e patrocinadores pelo apoio absoluto, essencial para o êxito deste evento. À extraordinária e incansável equipa de voluntários que oferece o seu tempo para tornar esta experiência única. Aos guias, orientadores e formadores de voluntários cujo contributo se traduz na qualidade das visitas. Ao grupo de especialistas que oferecem uma análise mais aprofundada a cada espaço. Nomeadamente a todos os agentes que estiveram envolvidos no programa de acessibilidade. Esta iniciativa realiza-se graças à colaboração deste conjunto de pessoas. E obrigado a si, por participar neste evento tornando-o um sucesso.

Animação de Carregamento