Saltar para o conteúdo principal
Trienal de Arquitectura de Lisboa
© Baía do Tejo
© Baía do Tejo

Antigos Estaleiros da Lisnave

  • Autores Originais:
  • Tomás Taveira (arquitectura) ,
  • Álvaro Barreto (construção civil) ,
  • José Maria Sardinha (equipamentos de indústria naval)
  • (1967)

O Estaleiro da Margueira, conhecido por Lisnave, a empresa de reparação naval que aí operou, foi inaugurado em 1967, desenvolvendo a actividade de reparação naval até 2000. O estaleiro ocupa uma área de 30 hectares, dos quais 26 foram conquistados ao rio. É composto por quatro grandes docas secas, e uma delas, a Doca 13 (Alfredo da Silva), foi já a maior doca seca do mundo. O pórtico vermelho de 300 toneladas com a inscrição LISNAVE faz parte da paisagem industrial do estuário do Tejo. Chegou a empregar dez mil operários e foi palco de lutas sociais e políticas entre o 25 de Abril de 1974 e os anos 90, alavancando uma transformação urbana significativa na linha de costa entre a Cova da Piedade e Cacilhas. Em 1999 foi proposta a transformação dos estaleiros com um projecto urbano especulativo de Manuel Graça Dias e Egas José Vieira, alcunhado de ‘Manhattan de Cacilhas’. Em 2009, foi publicado o Plano ‘Almada Nascente-Cidade da Água’, planeado por Richard Rogers, João Santa-Rita e Ana Roxo, cuja visão estratégica assenta na integração das funções de habitação, comércio e serviços, na promoção da relação com o Tejo e com o conhecimento e a cultura. Podem ser vistas as intervenções que o artista VHILS fez para o vídeo dos U2 ‘Raised by Wolves’.

Morada
Avenida Aliança Povo MFA, 1, Almada
Obter Direcções

Transportes Públicos
Autocarro: 182
Metro: Cacilhas (barco)

Tipologia
Infra-estruturas

Fotografia
Permitido fotografar

Sábado e Domingo, 10h-18h

Por voluntário
1 por hora

Acessíveis
Sábado, 15h visita acompanhada por intérprete de Língua Gestual Portuguesa (LGP)

Lotação
20

Favoritos
Animação de Carregamento